10 de setembro de 2014

Uma longa Jornada

Postado por Gabrielly Tobias às 01:08


Nicholas Sparks (arqueiro)

Sinopse

Aos 91 anos, com problemas de saúde e sozinho no mundo, Ira Levinson sofre um terrível acidente de carro. Enquanto luta para se manter consciente, a imagem de Ruth, sua amada esposa que morreu há nove anos, surge diante dele.


Mesmo sabendo que é impossível que ela esteja ali, Ira se agarra a isso e relembra diversos momentos de sua longa vida em comum: o dia em que se conheceram, o casamento, o amor dela pela arte, os dias sombrios da Segunda Guerra Mundial e seus efeitos sobre eles e suas famílias. 


Perto dali, Sophia Danko, uma jovem estudante de história da arte, acompanha a melhor amiga a um rodeio. Lá, é assediada pelo ex-namorado e acaba sendo salva por Luke Collins, o caubói que acabou de vencer a competição.

Ele e Sophia começam a conversar e logo percebem como é fácil estarem juntos. Luke é completamente diferente dos rapazes privilegiados da faculdade. 
Ele não mede esforços para ajudar a mãe e salvar a fazenda da família. Aos poucos, Sophia começa a descobrir um novo mundo e percebe que Luke talvez tenha o poder de reescrever o futuro que ela havia planejado. Isso se o terrível segredo que ele guarda não puser tudo a perder.


Resenha de bom gosto

Sou super suspeita para dar opniões sobre Sparks, eu simplesmente me encanto com cada obra dele de forma especial e única.
Íra está a beira da morte, preso em uma nevada dentro de um carro coberto de neve, ele pressente que é o fim, até que sua falecida esposa Ruth aparece e insiste para que ele lute, enquanto está preso e muito machucado, Ruth tenta acalma-lo, e nessa conversa começa o desenrolar de toda história:

— Do que você está falando? Não há nenhum outro aniversário. Só um.
— Do dia em que minha vida mudou para sempre - respondo. - O dia em que conheci você.


Das duas histórias narradas em primeira pessoa, a que mais nos emociona com toda certeza é a de Ira, pelo estado em que ele se encontra e como aborda a morte, o passado e suas lembranças com a esposa. Não tinha como não se derreter em lágrimas, porém Sophia e Luke também nos contam uma história extremamente envolvente e sedutora, com fatos meio comuns de um casal jovem e cheio de vontade, a princípio não entendemos a relação de um casal e outro, mas também não era de se esperar que Sparks fosse tão previsível assim. Como sempre nos surpreendendo de forma positiva e incrivelmente encantadora. Íra narra com detalhe, cada experiência, cada briga, cada expressão de Ruth. É a perfeição com que cada fato é contado que permite que os sentimentos cheguem até nós, a saudade, o amor, o sofrimento, a força com que Íra luta por sua vida, por Ruth.

— Estou tentando lhe dizer que não foi a arte que me mudou. Foi o modo como você olhava pra mim enquanto eu olhava a arte. Em outras palavras, foi você que me mudou.


O amor dos dois realmente é a BASE da história toda. Sophia se surpreende com algumas omissões sobre o passado de Luke que podem prejudicar o andar dos dois, e Luke tem que tomar decisões importantes sobre o futuro da fazenda de sua mãe e sua carreira como montador pode não ser mais tão segura. O amor de duas épocas se encontram e percebemos o quanto uma ação pode mudar nossas vidas por inteiro. Um livro para quem ama romances, casais e histórias verdadeiramente marcantes.

0 comentários:

Postar um comentário

 

Resenhas de Bom gosto Copyright © 2012 Design by Antonia Sundrani Vinte e poucos