27 de agosto de 2014

Perdida

Postado por Gabrielly Tobias às 20:54

Carina Rissi (Verus)

5° Edição, Rio de Janeiro-RJ/ Campinas-SP, 2014.

"Um amor que ultrapassa as barreiras do tempo"
Sofia vive em uma metrópole, está habituada com a modernidade e as facilidades que isto lhe proporciona. Ela é independente e tem pavor a menção da palavra casamento. Os únicos romances em sua vida são os que os livros lhe proporcionam. Mas tudo isso muda depois que ela se vê em uma complicada condição. Após comprar um novo aparelho celular, algo misterioso acontece e Sofia descobre que está perdida no século XIX, sem ter ideia de como ou se voltará. Ela é acolhida pela família Clarke, enquanto tenta desesperadamente encontrar um meio de voltar para casa. Com a ajuda de prestativo Ian, Sofia embarca numa procura as cegas e acaba encontrando algumas pistas que talvez possam leva-la de volta para casa. O que ela não sabia era que seu coração tinha outros planos...

Resenha de bom gosto:

Sabe aquele tipo de livro que você lê com aquela pontinha de dúvida se vale a pena? Comprei ele pela sinopse, apesar de achar meia clichê, eu precisava ler algum romance e resolvi comprar. Foi a melhor escolha que eu poderia ter feito, sempre fui meia preconceituosa com filmes clichês de história de príncipe e princesa, com roupas extravagantes e costumes de antigamente, mas me rendi com a escrita detalhada e profundamente real de Carina, devorei ele em 3 dias, e só não foi menos pois precisava cumprir minhas tarefas diárias. A história é narrada em primeira pessoa, Sofia trabalha em um escritório, começou quando ainda era estagiária pela faculdade, assim que terminou foi efetivada e tinha que aguentar seu chefe incrivelmente mal-humorado para pagar as contas, mora sozinha em um apartamento e perdeu seus pais anos atrás, sua melhor amiga Nina e seu namorado Rafa ajudaram a superar a perda. Dentre tantas características comuns de uma jovem de hoje em dia, Sofia não acreditava em amor, não se permitia tal sentimento, tinha sido traída pelo único menino que gostara, e pensava ser feliz assim, esperando subir de cargo e devorando seus romances épicos. Em um acidente com seu celular, foi obrigada a comprar outro, convencida por uma vendedora um tanto peculiar, levou um aparelho dito com muitas funções e acabou num tropeço, indo parar no século 19, aonde um lindo e educado cavalheiro chamado Ian com roupas engraçadas tenta ajudá-la. Nessa aventura de tentar se convencer de que aquilo não era um sonho e ter que se acostumar a se comportar de acordo com a realidade da época, a escritora relata a dificuldade de uma menina do século 21 viver sem as modernidades e facilidades de hoje em dia, em uma época que existia apenas o necessário. Além das várias cenas de humor e drama, o que faz tornar o livro uma obra realmente LINDA é o amor puro e sincero entre duas pessoas que não partilham dos mesmo costumes nem tão pouco dos mesmos gostos e opiniões. Um amor verdadeiro e excitante, aquelas cenas que fazem até seus pelinhos se arrepiarem e a grande MUITO grande atração física e emocional dos dois personagens, a autora nos convence do amor singelo e ardente de Ian e Sofia. Chorei MUITO, me arrepiei MUITO, e jurei nunca mais julgar os amores clichês e as aparências de uma história aparentemente comum. LEIAM, LEIAM, LEIAM ! rs 
 

0 comentários:

Postar um comentário

 

Resenhas de Bom gosto Copyright © 2012 Design by Antonia Sundrani Vinte e poucos